O Que Se Esconde Nos Seus Cosméticos Prediletos – 12 Aditivos Perigosos Para Evitar

O Que Se Esconde Nos Seus Cosméticos Prediletos – 12 Aditivos Perigosos Para Evitar

Quando eu comecei a pesquisar sobre os ingredientes que estavam descritos nos rótulos dos meus cosméticos, eu não acreditei quantos químicos tóxicos estavam presentes nos produtos que eu usava diáriamente. Li um dia que, procurando produtos que não testavam em animais era a solução, afinal, as empresas que testam animais só testam em animais porque estão lidando com materiais tóxicos danosos, não é?! Péééé..errado! Quer dizer, tem um fundo de verdade, mas existem conservantes, corantes etc. que já foram testados em animais durante décadas e que (ao meu ver) não haveria necessidade de sempre testá-los, já que o laudo dos resultados foram “provados” diversas vezes. O que acontece é que mesmo optando por produtos de empresas que não testam em animais não basta. Já cansei de ler o rótulos de produtos que alegam o processo livre de crueldade na fabricação de seus materiais, porém estarem recheados de “porcarias” que podem desencadear diversas doenças que estão virando epidemia no mundo inteiro.

Não me entendem errado, não é por que existem empresas que não testam em animais que ainda usam químicos perigosos em seus produtos que tanto faz a marca consumir. Em geral, se os materiais que estão sendo usados são naturais e livre de agrotóxicos, não há necessidade de testá-los em nada. E além disso, usar de seres que não podem se defender é primitivo e cruel.

Resumindo, o rótulo deve ser lido sempre e a regra geral é, se não conseguir pronunciar direito o que está escrito, provavelmente é sintético e danoso.

A seguir, os 12 dos químicos considerados mais perigosos e que mais estão infiltrados no mundo dos cosméticos segundo o David Suzuki Foundation do Canadá.

Eles são:

1. BHA e BHT

Usado principalmente em hidratantes e maquiagem como conservantes. São desreguladores endócrinos (suspeitos). Há estudos que apontam a possibilidade de BHA causar câncer. Nocivo para os peixes e outros animais selvagens quando contaminam a água e o solo.

2. Corantes de alcatrão de carvão: p-fenilenodiamina e cores listados como “CI” seguido de um número de cinco dígitos

Além de corantes de alcatrão de carvão, pigmentos naturais e inorgânicos utilizados em cosméticos também são atribuídos os números de índice de cor – CI (da série 75000 e 77000, respectivamente).

Procure p-fenilenodiamina em tinturas de cabelo e em outros produtos de cores listados como “CI”, seguido de cinco dígitos. O nome americano da cor também pode ser indicado (por exemplo, “FD&C Blue No. 1″ ou “Blue 1″). Potencial causadores de câncer e podem ser contaminados com metais pesados ​​tóxicos para o cérebro.

3. DEA, cocamida DEA e lauramida DEA

Usado em produtos cremosos e de formação de espuma, tais como hidratantes e shampoos. Podem reagir para formar nitrosaminas, que podem causar câncer. Nocivo para os peixes e outros animais selvagens quando contaminam a água e o solo. Procure também produtos químicos relacionado – MEA (monoetanolamida) e TEA (trietanolamina).

4. Ftalato de dibutilo (dibutyl phthalate)

Ftalato de dibutilo, ou DBP, é usado principalmente em produtos para as unhas como um solvente para os corantes e como um plastificante que impede esmaltes de se tornarem quebradiço. Suspeito desregulador endócrino e tóxico para a orgãos reprodutivos. Nocivo para os peixes e outros animais selvagens quando contaminam a água e o solo.

5. Conservantes que liberam formaldeído (formaldehyde)

Procure DM hidantoína, diazolidinil uréia, imidazolidinil uréia, metenamina, quarternium-15 e sodium hydroxymethylglycinate. Utilizado em uma variedade de produtos cosméticos. Lentamente libera pequenas quantidades de formaldeído, que causa câncer. Outras aplicações industriais de formaldeído incluem a produção de resinas usadas em produtos de madeira, pisos de vinil e outros plásticos e produtos de limpeza de vaso sanitário.

6. Parabenos

Os parabenos são os conservantes mais amplamente utilizados em cosméticos. Estima-se que 75 a 90 por cento de cosméticos contêm parabenos.

Eles penetram facilmente na pele e são suspeitos de interferir com a função hormonal (desregulação endócrina). Parabenos podem imitar o estrogênio, o hormônio feminino primário. Em um estudo, parabenos foram detectados em tecidos de câncer de mama humano, levantando questões sobre uma possível associação entre parabenos em cosméticos e câncer. Parabenos também podem interferir com as funções reprodutivas masculinas. Além disso, estudos indicam que o metilparabeno aplicado sobre a pele reage com UVB conduzindo a um aumento do envelhecimento de pele e dano de DNA

Parabenos ocorrem naturalmente em níveis baixos em certos alimentos, tal como a cevada, morangos, baunilha, cenouras e cebolas, mas é resultado de uma preparação sintética derivada da petroquímica que são usados em produtos cosméticos e são perigosos.

Metilparabeno, butilparabeno e propilparabeno são alguns dos mais comuns parabenos em cosméticos. Outros produtos químicos nesta classe têm, geralmente, “paraben” em seus nomes (por exemplo, isobutylparaben, ethylparaben, etc.).

7. Parfum (Fragrance)

Para aqueles que achavam que o ingrediente parfum nos diversos produtos que compram significava simplesmente perfume ou fragrância, você está redondamente errado, infelizmente.

O termo parfum (ou fragrância) em uma lista de ingredientes cosméticos geralmente representa uma mistura complexa de dezenas de produtos químicos. Cerca de 3.000 produtos químicos são utilizados como perfumes. A fragrância é um ingrediente óbvio em perfumes, colônias e desodorantes, mas ele é usado em quase todo tipo de produto de higiene pessoal. Mesmo produtos comercializados como “sem perfume” ou “sem cheiro” podem, na verdade, conter ingredientes de fragrância na forma de agentes que impedem o cérebro de perceber o odor. Em adição ao seu uso em produtos cosméticos, fragrâncias são encontrados em inúmeros outros produtos de consumo, em especial detergentes de roupa, amaciantes e produtos de limpeza.

Alguns ingredientes de fragrâncias podem desencadear alergias e asma. Alguns estão ligados ao câncer e neurotoxicidade. Alguns são prejudiciais aos peixes e outros animais selvagens quando contaminam a água e o solo.

8. PEGs

PEG (polietileno glicóis ou polyethylene glycols) são compostos à base de petróleo que são amplamente usados ​​em bases de creme para cosméticos como agentes espessantes, solventes e amaciantes.

Podem ser contaminados com 1,4-dioxano, o que pode causar câncer. Também vale para o propileno glicol e outros ingredientes com as letras “eti” (por exemplo, polietileno glicol).

9. Petrolatum

Também conhecido como geléia de petróleo ou vaselina, petrolato é utilizado como uma barreira para manter a umidade na pele em uma variedade de hidratantes. Ele também é usado em produtos para o cabelo para dar brilho aos cabelos.

Um produto do petróleo, petrolato pode ser contaminado com hidrocarbonetos aromáticos policíclicos (HAP). Estudos sugerem que a exposição aos HAPs – incluindo contato com a pele durante longos períodos de tempo – está associado ao câncer. A União Europeia classifica petrolato uma substância cancerígena e limita o seu uso em produtos cosméticos. HAPs em petrolato também podem causar irritação na pele e alergias.

Óleos minerais e destilados de petróleo também são derivados do petróleo usados ​​em cosméticos. Como petrolato, estes ingredientes podem estar contaminados com HAPs.

10. Siloxanos: ciclotetrasiloxano, ciclopentasiloxano, cyclohexasiloxane e ciclometicone

Procure por ingredientes que terminam em “-siloxano” ou “-meticone”. Usado em uma variedade de cosméticos para amaciar, alisar e umedecer. Suspeito desregulador endócrino e tóxico para os orgãos reprodutivos (ciclotetrasiloxano).

11. Sodium laureth sulfate

Também referido como SLES, sodium laureth sulfate é usado como agente de limpeza e também para formar espuma. É um ingrediente comum em shampoos, géis de banho e sabonetes faciais. Também pode ser encontrados em vários produtos de limpeza, como detergentes.

Pode estar contaminado com 1,4-dioxano, o que pode causar câncer. Procure também químicos relacionados, como sodium lauryl sulfate (SLS), que irrita os olhos, a pele e o trato respiratório.

12. Triclosan

Triclosan é usado principalmente em desodorantes, produtos de limpeza e desinfetantes para as mãos como conservante e um agente anti-bacteriano. Este produto químico pode ser encontrado em uma ampla gama de produtos para o lar, incluindo sacos de lixo, brinquedos, roupas de cama, colchões, vestuário, tintas e sabão em pó, bem como nos produtos cosméticos.

Triclosan pode ser absorvido pela a pele e é suspeito de interferir com a função hormonal (disrupção endócrina). O uso extensivo de triclosan em produtos de consumo pode contribuir para bactérias resistentes a antibióticos.