Tudo o que Você Precisa Saber Sobre a Vitamina B12

Tudo o que Você Precisa Saber Sobre a Vitamina B12

A 2ª pergunta mais feita a uma pessoa com uma dieta herbívora (a 1ª é: “De onde você tira a sua proteína”?) é: “E como fica os seus níveis de vitamina B12” ou “Você não se preocupa com a B12”? Intrigada com essa pergunta, resolvi pesquisar a fundo sobre o  assunto. Por mais que eu encontrasse muitos artigos sobre a vitamina B12 e a sua relação com a carne animal, eu estava determinada encontrar da onde, originalmente, vem essa vitamina, ainda mais porque eu só via coisas positivas (muito positivas) sobre a mudança nos meus hábitos alimentares e fielmente acredito que não precisamos de nada de origem animal para viver uma vida saudável. Muitas pesquisas depois achei a minha resposta no livro e filme “Forks over Knives”, em um podcast com a Dra. Pamela Popper e outras fontes como esta e esta.

 

Da onde vem a vitamina B12 originalmente ?

 

A vitamina B12 vem das bactérias no solo no qual as plantas crescem e na água potável de rios e lagos saudáveis. Um solo saudável é muito rico em b12 e é assim que herbívoros sempre obtiveram a sua maior parte dessa vitamina – através da terra que se gruda aos vegetais que vêm diretamente do solo. No entanto, hoje em dia a comida é tão higienizada (por razões de transporte anti-higienico, etc.) que toda essa terra acaba saindo da superfície antes de comermos o alimento. Pessoas que colhem direto das suas hortas e consomem esses alimentos sem muita higienização, normalmente alcançam a sua dose diária de B12 sem nenhum problema, assim como animais herbívoros na selva (gorilas, por exemplo).

 

Alimentos de origem animal são uma fonte de B12 porque estes animais consomem as bactérias nas plantas que comem. A produção da vitamina é resultado da fermentação gastrointestinal que ocorre a partir da ingestão e é então armazenada no animal. Então, quando o ser humano se alimenta de um animal (carne bovina, frango, porco, etc.),  a B12 entra no estômago como parte do alimento e, em seguida, é separada da sua fonte por enzimas digestivas e ácido clorídrico.

 

Pra que que ela serve?

 

Ela é muito importante e é por isso que existe uma discussão enorme entorno do assunto. Se você não consumir (e absorver) o suficiente, pode gerar grandes problemas de saúde.

 

Algumas de suas utilidades pro nosso corpo são:

 

  • Promove o bom funcionamento do cérebro e do sistema nervoso;
  • Necessária para a formação de glóbulos vermelhos do sangue;
  • Estimula o crescimento e o apetite em crianças;
  • Facilita a utilização de todos os macronutrientes que ingerimos em forma de alimentos;
  • Atua em conjunto com o ácido fólico (outra vitamina B) na síntese do aminoácido metionina, isso limita o acúmulo de uma molécula potencialmente prejudicial, a homocisteína;
  • Ajuda a construir o material que compõe o nosso código genético, o DNA.

 

Só pessoas herbívoras podem desenvolver deficiências de B12?

 

Deficiências não são apenas um resultado da falta de ingestão, elas podem resultar de outros problemas também.

 

Se você come carne de qualquer animal, você está ingerindo a B12 em abundância, mas a absorção e utilização da vitamina é dependente de uma glicoproteína que é criada no estômago, chamada de fator intrínseco. O fator intrínseco é uma proteína de ligação que precisa de ácido clorídrico adequado e um trato gastrointestinal em bom estado de funcionamento para ser produzido.

 

Antiácidos desligam e reduzem a produção de ácido clorídrico. Quantas pessoas você conhece que consomem antiácidos praticamente todos os dias, se não todos os dias? Têm pessoas por aí que tomam tabletes de antiácidos que nem balinha, o que é um problemão e pode ser raíz dessa deficiência.

Envelhecimento, stress, problemas digestivos, problemas gastrointestinais também são grandes fatores. O trato gastrointestinal é profundamente afetado pelo o que comemos, então, consequentemente, você vai ver as deficiências de vitamina B12 em carnívoros que estão consumindo muita B12, mas não é bem utilizada, uma vez que entra no corpo.

 

Sinais de deficiência

 

O sinal mais fácil de ser detectado pela pessoa sem antes ter feito um exame de sangue específico é o formigamento e sensação de anestesia principalmente nas mãos e as vezes nos pés. Outros sinais a serem investigados são de fadiga, perda de apetite, depressão, ansiedade e diarréia.

 

Quanto preciso ingerir por dia?

 

A quantidade diária necessária é bem pequena, somente 2 a 4 microgramas em adultos e um pouco mais em mulheres grávidas e amamentando. Se for detectado em exame de sangue uma deficiência grave, o seu médico provavelmente irá prescrever uma dose mais alta até o problema ser regularizado.

 

Segundo a Dra. Popper, a suplementação dessa vitamina é uma excessão, diferente da vitamina D e outras que o excesso pode criar problemas. Não existem evidências de que  possa ocorrer algum dano ao organismo no caso de excessiva ingestão, então se você segue uma dieta herbívora, não há razões de não assegurar o consumo da B12 através de suplementação.

 

Suplementação

 

Na questão dos suplementos de vitamina B12, existem duas formas mais comuns, a Methylcobalamin e a Cyanocobalamin. A cianocobalamina é um produto químico barato, sintético feito em laboratório. É praticamente impossível encontrar esta forma na natureza. Fabricantes de vitaminas baratas utilizam ela porque  pode ser comprada a granel e adicionada a produtos com alegações de que contêm vitamina B-12. O que não é dito é que essa vitamina está ligada a uma molécula tóxica e venenosa, o cianeto,  que deve então, ser removida do corpo pelo fígado. A cianocobalamina é até 100 vezes mais barata do que a metilcobalamina, de maior qualidade.

 

A forma adequada de vitamina B-12 para suplementar é chamada metilcobalamina. Esta é a forma que existe na natureza, e é pré-metilado, o que significa que está pronto para a sua bioquímica botar em uso imediato. Metilcobalamina tem várias vantagens sobre cianocobalamina:

 

  • Maior absorção
  • Melhor retenção nos tecidos
  • Não contém cianeto
  • Ajuda na produção de S-adenosilmetionina (SAM)