Tem o que na minha comida?? Anvisa implementa medida que estabelece a quantidade máxima de matérias estranhas em alimentos e bebidas

Tem o que na minha comida?? Anvisa implementa medida que estabelece a quantidade máxima de matérias estranhas em alimentos e bebidas

Quantos de vocês já optaram por um produto embalado por achar que era mais higiênico, como por exemplo, escolher um suco de caixinha ao invés de pedir um suco natural na barraca da praia? Algo naquela barraca não deve ter agradado, mas, e aquilo que não vemos, como a fábrica que produz esse suco? O que os olhos não vêem, o coração não sente, certo?

 

É incrível o número de pessoas que preferem consumir algo pronto e embalado por questões sanitárias. Eu, inclusive, já pensei assim, como se o pacote magicamente tornasse aquele produto em algo super limpo.

 

A ilusão que foi criada entorno disso foi baseada na confiança que damos as empresas, mesmo sem conhecê-lás e suas práticas. Além disso, um produto processado em uma fábrica passa por muitos estágios e involve muita gente e otras cositas más. Quanto maior a fábrica, mais difícil de monitorar.

 

Quer mais uma razão pra evitar alimentos processado? Saiba que a Anvisa, no ano passado, resolveu regular as quantidades máximas de “matérias estranhas” toleradas na fiscalização, algo que antes não tinha padrão algum.. Eca!

 

Bom, pra melhorar a nossa situação, “matérias estranhas” como moscas, baratas e formigas foram proíbidas no conteúdo dos produtos alimentícios. Ufa! Mas.. isso não quer dizer que não deram uma colher de chá para as empresas em relação a outras coisas.

Segundo a Anvisa, a tolerância máxima de matérias estranhas em alimentos e bebidas é de:

Fonte: editora de arte folhapress

Fonte: Folha de São Paulo

 

PRODUTOS DE TOMATE (MOLHO, PURÊ, POLPA, EXTRATO, KETCHUP)

  • Um fragmento de pelo de roedor em 100g

 

DOCE EM PASTA E GELÉIAS DE FRUTA

  • 25 fragmentos de insetos em 100g

 

FARINHA DE TRIGO

  • 75 fragmentos de insetos em 50g

 

DERIVADOS DE FARINHA (MACARRÃO, BISCOITOS, PRODUTOS DE PANIFICAÇÃO E CONFEITARIA)

  • 225 fragmentos de insetos em 225g

 

CAFÉ TORRADO E MOÍDO

  • 60 fragmentos de insetos em 25g

 

CHÁ DE MENTA OU HORTELÃ

  • 300 fragmentos de insetos em 25g
  • 5 insetos mortos inteiros em 25g
  • 2 fragmentos de pelos de roedor em 25g

 

CANELA EM PÓ

  • 100 fragmentos de insetos em 50g
  • 1 pelo de roedor em 50g

 

CHOCOLATE E PRODUTOS ACHOCOLATADOS

  • 10 fragmentos de insetos em 100g
  • 1 fragmento de pelo de roedor em 100g

PROIBÍDO

 

  • Insetos como moscas, baratas e formigas, roedores, excrementos de animais (exceto o dos considerados próprios da cultura e do armazenamento).
  • Objetos rígidos, pontiagudos e/ou cortantes (osso, metal, madeira, plástico rígido), iguais ou maiores que sete milímetros.
  • Objetos rígidos de diâmetros iguais ou maiores que dois milímetros (pedra, dentes, caroço)
  • Fragmentos de vidro de qualquer tamanho ou formato
  • Filmes plásticos

 

Quem sabe a fiscalização fique um pouco mais rigorosa já que, antes da medida, muita gente estava achando objetos indesejados na sua comida. Mesmo assim, não sei se confio muito nem na Anvisa e nem nas empresas.

 

Quer evitar tudo isso? Priorize uma alimentação de frutas, vegetais e sementes em natura, ou mais perto da sua forma original possível. Opte por fazer as compras em feiras orgânicas que não só promovem a nossa boa saúde, como também ajudam o planeta e os produtores locais.

Quer achar a feira mais próxima de você, clique aqui.